07nov
2014
2
DESENHO LINDO 540

Interpretando desenhos de crianças

O Poder do desenho infantil

Fazer e colorir desenhos tem um papel muito importante no desenvolvimento de muitas capacidades infantis. Além de atividade lúdica, trabalhar coordenação, um desenho feito por uma criança exprime suas emoções, características da sua personalidade e revelam segredos do seu mundo interno que ainda não consegue comunicar conversando. O desenho é um canal de comunicação entre a criança e seu mundo exterior. Não é por acaso que os desenhos são uma ferramenta de trabalho preciosa nas avaliações psicológicas infantis e nas terapias. Relacionamos aqui os tipos de desenhos infantis mais comuns e considerações sobre eles.

O que os desenhos podem representar

Dimensões do desenho – Os desenhos com formas grandes mostram certa segurança, enquanto os de formas pequenas parecem ser feitas por crianças que normalmente precisam de pouco espaço para se expressar. Podem também sugerir uma criança reflexiva, ou com falta de confiança.

CASA – o adulto deve estar atento quanto portas e janelas da casa desenhada pela criança, sendo que estas representam o contato com o meio ambiente, ou seja, se uma criança desenha portas e janelas fechadas, leva-nos a pensar que talvez a interação com o ambiente e com as pessoas está difícil para ela.
A linha representativa do chão simboliza o contato com a realidade.

FAMÍLIA – a criança que desenha sua figura isolada ou afastada dos familiares pode estar querendo mostrar a falta de comunicação entre os membros.
Percebemos também que quando a criança representa a sua figura por último, pode ser que esteja com a sensação de não receber a devida atenção na família. Daí a necessidade do adulto estar atento em qual ordem à criança faz seus desenhos. Quanto ao tamanho das figuras, o que vemos é que as pessoas da família com quem a criança tem maior proximidade afetiva são figuras desenhadas de forma maior, mais colorida e expressiva.
Notamos que na maioria das vezes ao desenhar, o espaço é regido pelo emocional, ou seja, se a criança está vivenciando uma relação conflituosa com o pai, coloca-o no seu desenho no canto da folha, bem distante da família, mesmo não sendo sua real posição física.

ÁRVORE quando a criança desenha uma árvore, devemos estar atentos quanto à copa desta árvore, pois representa a área da criatividade.
Outro aspecto é quanto aos frutos, pois estes representam o desejo de realizar coisas.
Em relação à linha do solo, que é à base da árvore, esta nos fornece dados sobre a necessidade de apoio. -

DESENHO 600 POR 400

A Influência das cores

A simbologia das cores varia de cultura para cultura, ocorrendo uma diversidade de interpretações. No entanto quanto mais bizarro for o emprego da cor, maior a probabilidade de ter um significado representativo.
Amarelo é a cor preferida por pessoas alegres, desinibidas, flexíveis e espontâneas. Quando utilizada pela criança com muita ênfase sugere um comportamento mais dependente e emocional.
Azul- é a cor do céu, do espírito. A contemplação do azul determina leveza e contentamento. É a cor preferida por pessoas calmas, seguras e equilibradas.
Laranja- é a cor preferida por pessoas confiantes, perseverantes, independentes e extrovertidas. Quando utilizado pelas crianças sugere desejo de conseguir algo e se valorizar.
Marrom- é a cor preferida de pessoas passivas, indiferentes, inseguras e observadoras de regras. Quando usado com muita ênfase por crianças, sugere inibição ou repressão.
Preto- é a ausência de todas as cores, transmite a sensação de renúncia, entrega, abandono e introspecção. Em crianças reflete repressão da vida emocional, ansiedade e luto.
Verde- é a cor da natureza, do crescimento, da reprodução, é chamada a cor do equilíbrio. Quando usada com muita ênfase pelas crianças sugere dificuldade de expressão das emoções.
Vermelho- universalmente considerado como símbolo fundamental do princípio da vida, é uma cor ativa e estimulante. O interesse pelo vermelho decresce à medida que a criança supera a fase impulsiva e ingressa na fase da razão.
Violeta ou roxo- é uma cor resultante da mistura do vermelho com o azul e nas crianças reflete um temperamento mais sombrio ou tristeza.

Sinais de Alerta

Existem sinais de alerta, presentes nos desenhos das crianças, que podem despertar pais e professores para situações anormais. Os terapeutas especialistas afirmam que a interpretação dos desenhos deve ser feita considerando a idade da criança, ou seja, um desenho todo preto feito por uma criança de 2 anos pode não ter nenhuma conotação negativa, uma vez que esta ainda não tem uma consciência clara da escolha das cores, ao invés de uma criança mais velha, com 4 ou 5 anos. No entanto, os psicólogos vão mais longe nesta matéria e defendem ainda a importância de não avaliar o desenho isoladamente, mas de considerar, para além da idade da criança, a sua personalidade, o seu desenvolvimento cognitivo e ainda o seu histórico de desenhos. Em adição, há, naturalmente, o contexto do desenho, ou seja, sugere-se que o adulto fale frequentemente com a criança sobre aquilo que desenha.
É bom estar atento para:

Cores utilizadas e vivacidade das mesmas;
Força ou interrupção do traço:
Os traços contínuos, sem interrupções parecem denotar um espírito dócil, enquanto o apagado ou falhado, pode revelar uma criança um pouco insegura e impulsiva.
A pressão o indica entusiasmo e vontade. Quanto mais forte seja o desenho, mais agressividade existirá, enquanto as mais superficiais demonstra falta de vontade ou fadiga física.
· Existência de sombras.
· Isolamento de determinadas figuras (“fechadas” dentro de um quadrado ou de um círculo, por exemplo).
· Ausência de determinadas figuras ou representação das mesmas numa escala muito reduzida.
· Agressividade de determinadas figuras.
A criança passa a desenhar, continuadamente, cenários de violência.
Desenha repetidamente a mesma figura.
· Se alguma figura é riscada ou apagada, depois de desenhada.
Desenha figuras sem cabeça ou sem rosto.
Não consegue desenhar-se a si próprio, em uma imagem de família por exemplo.
Desenha cenários que não são adequados à sua idade.

DESENHO RABISCO

O que fazer

Não entre em pânico, nem proíba a criança de desenhar. O desenho pode revelar algo negativo ou não.
Fale com a criança sobre os desenhos que ela fez, tentando descobrir o que está por de trás dos mesmos. A criança pode ou não dizer-lhe exatamente o que se passa ou o que se passou, por isso, será necessário estar atento às “entrelinhas”
· Se os desenhos da criança continuar a alarmá-lo, procure ajuda profissional (Psicólogo ou Psicopedagogo);
Contudo, nunca desencoraje a criança de desenhar, pois esta atividade criativa e educacional que traz inúmeros benefícios.

 

Comments (2)

  • Juliana Martins

    Muito bom! . Gosto de incentivar meu filho a desenhar. Os desenhos dele as vezes me dão dicas sobre sua personalidade ou alguma fase que ele esteja passando. Obrigada Iona for kids.

    reply
    • Profile photo of Ionaforkids

      Ionaforkids

      É isso mesmo Juliana, obrigada por compartilhar essa experiência! :)

      reply

Reply